ABC da adubação


Os orquidófilos iniciantes e até alguns mais experientes, muitas vezes esbarram em algumas dificuldades quando o assunto é adubação. Periodicidade, formulações adequadas para cada fase do ciclo vegetativo da planta, quantidades a serem ministradas, entre outras dúvidas que normalmente podem surgir. Para ajudar a solucionar esses problemas, resolvemos fazer uma pequena coletânea com as principais dificuldades encontradas nessa parte tão importante do cultivo das orquídeas. 

Porque adubar?


Adubamos nossas orquídeas porque as tiramos de seu hábitat onde elas se beneficiavam naturalmente dos nutrientes necessários para o seu desenvolvimento e as colocamos em um ambiente que podemos chamar de 'artificial', logo, é extremamente necessário que seja compensada, também artificialmente, a ausência desses nutrientes com a aplicação de adubos. 

Quando adubar?


É errônea a ideia de que não se deve adubar no inverno. A família orquidácea é uma das mais extensas com um número incrível de espécies separadas em gêneros, logo, em um orquidário com vários gêneros vegetando num mesmo espaço, é natural que tenham plantas em diferentes estágios de seu processo vegetativo. Não há uma 'dormência' que aconteça com todas as espécies da família orquidácea ao mesmo tempo. Tanto é que existem até mesmo diversas espécies que florescem nesse período. Simplificando, a planta se beneficiará muito mais da adubação quando estiver emitindo novas raízes com aquelas pontinas verdinhas (Meristema apical), daí a importância de manter as raízes de sua orquídea sempre saudáveis, já que elas são responsáveis por aproximadamente 90% da absorção de nutrientes.

O ideal é que a adubação seja feita regularmente, de forma equilibrada. independente do período do ano. A aplicação de um adubo de manutenção (20 20 20 ou 18 18 18 + Micronutrientes) de forma homeopática, ou seja, com mais frequência (uma vez por semana), porém em doses menores (uma colher rasa de café para cada litro de água na diluição) garantirá nutrição de que a planta necessita para vegetar adequadamente.

Como adubar?


Produtores e estudiosos do assunto afirmam que o fornecimento de adubação de manutenção (20 20 20 ou 18 18 18) acompanhada dos micronutrientes necessários às orquídeas, são o suficiente para que a planta se desenvolva e floresça em sua época adequada. Contudo existem no mercado diversas formulações que têm basicamente três finalidades específicas: crescimento, floração e manutenção. Os de crescimento apresentam formulação com maior teor de nitrogênio (N) que é o primeiro elemento da sigla NPK, exemplo: 30 10 10; os de floração apresentam maior teor de fósforo (P) segundo elemento da sigla, exemplo: 10 30 20 e os de manutenção possui uma formulação equilibrada dos três macronutrientes, que são nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K), exemplo: 20 20 20.

Além desses elementos chamados de macronutrientes primários, as orquídeas também necessitam, mesmo que em quantidades menores, dos chamados macronutrientes secundários ( Cálcio, Magnésio e Enxofre) e dos micronutrientes ( Boro, Cobre, Ferro, Manganês, Molibdênio e Zinco). Para tanto, é necessário optar pela utilização de um adubo que possua tanto macro quanto micronutrientes, observe o rótulo do produto e converse com o seu fornecedor. 

A aplicação é normalmente feita por meio da diluição do produto em água e a borrifação sobre a planta, preferencialmente de forma homeopática (uma vez por semana em quantidades menores), ou seguindo a recomendação do fabricante descrita no rótulo do produto. O importante é concentrar a aplicação sobre as raízes, já que elas são as responsáveis pela maior parte da absorção do nutrientes. 

No caso de adubos orgânicos, como o Bokashi, por exemplo, a aplicação pode ser feita, de três em três meses, diretamente no canto do vaso respeitando as quantidades necessárias de acordo com o tamanho do vaso. Em vasos pequenos uma colher de café, em vasos médios uma colher de chá e em vasos maiores uma colher de sopa. é importante tomar cuidado para que o adubo orgânico não toque diretamente as raízes, pois nesse caso específico, poderá causar a queimadura das mesmas, o que não ocorre com a adubação química.



IV Encontro de Orquidófilos


Aconteceu no dia 26 de abril de 2014 o IV Encontro de Orquidófilos, na Chácara Santa Clara localizada na cidade de Embu Guaçu/SP. A organização ficou por conta da equipe composta por Ademir Sarno, André Merez, Jayme Passele, Julio Moreira, Leili Izumida, Margarida Massa, Meire Genaro e Nina Lima, orquidófilos do Estado de São Paulo que se reunem duas vezes ao ano para realizar esse evento que congrega em clima festivo membros de diferentes associações orquidófilas. O evento que é bianual e itinerante chega à 4ª edição inovando cada vez mais. No lugar da tradicional palestra sobre cultivo que normalmente acontece em eventos desse tipo, a ideia foi um Workshop de Fotografia ministrado pela orquidófila e fotógrafa, Meire Genaro. Essa atividade tratou de práticas de fotografia que se aplicam especificamente às técnicas para fotografar flores, além é claro, de conceitos gerais de composição, luz, entre outras.

Outra inovação para esta edição foi uma divertida gincana com perguntas e respostas sobre vários assuntos relacionados ao estudo das orquídeas e o sorteio de vários livros sobre orquidofilia.  Prêmios ‘falsos’ com objetos divertidos, distribuídos entre os prêmios da gincana, também garantiram boas risadas. A decoração do evento, idealizada e executada por Margarida Massa, teve como tema as “borboletas”, símbolo de transformação, que muito bem representa o espírito desse grupo que busca uma orquidofilia atuante e transformadora. Além da marca do encontro, o beija-flor, que se tornou um símbolo do evento, há um slogan criado por Leili Izumida na ocasião da 2ª edição: “Unidos pela Orquidofilia”, que, em apenas três palavras sintetiza as aspirações desse grupo de maneira propositalmente de sentido duplo, ou seja, a orquidofilia é o motivo da união e a união é em prol da orquidofilia.


Para a edição de número V aguardamos novidades. Após reunião entre os organizadores serão definidos o local e a data do próximo evento e a previsão para a divulgação dessas informações será no máximo o final de julho deste ano. Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no grupo “Encontro de Orquidófilos” no Facebook ou por meio do formulário de contato aqui do Clube do Orquidófilo.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...